sábado, 27 de maio de 2017

Videos motivacionais, a partir de haicais de Jiddu Saldanha

Resolvi utilizar o haicai, um gênero de poesia japonesa, para fazer uma reflexão sobre 6 temas importantes, hoje, para ouvir, ver e viver, através da minha série de vídeos: Papo Livre e Leve. 
Venha comigo e me contate para que eu possa fazer uma visita à sua escola e falar pessoalmente com os alunos.














domingo, 2 de abril de 2017

11 dias no Rio Ródano, Pierre Passot nada da Suiça até a França - Atravessando o rio Ródano (Rhône)

Os franceses são conhecidos pela determinação e capacidade de realização.  Desafiar o desconhecido, o imponderável, foi uma opção de vida, escolhida pelo explorador Pierre Passot, um homem revestido de força e energia suficiente para dar um passo de grande significado, em favor de seu ideal. Proteger, discutir e sugerir caminhos, para evitar que grandes catástrofes ambientais aconteçam. Esta é a sensação que tenho, cada vez que encontro este francês de 70 anos, que acaba de nadar 11 dias no Rio Ródano, repetindo um feito de 30 anos atrás; que aliás, fora realizado por ele mesmo. Nunca, ouve uma travessia assim, utilizando uma nadadeira, Pierre Passot, desafiou a fúria das águas geladas e às vezes, turbulentas, para mostrar ao mundo, as condições de um rio que atravessa parte da Europa"!
Seu intuito maior, foi seguir despertando um olhar para o planeta, tanto que decidiu iniciar esta ação, no dia mundial da água, 27

Saida de Genebra, na Suiça, chgada em Saints Louis du Rhone.
Já está começando a circular pelo mundo, o impacto deste feito impressionante: Pierre nadou de manhã, tarde e noite, em horas contínuas e com descanso planejado. Alimentação adequada, e acampando à margem do Ródano, ele chegou ao seu destino, com energia suficiente para fazer o caminho de volta, se assim o quisesse. Ao sair de Genebra, na Suiça, atravessou diversas cidades da frança, como Bellegarde, Lyon, Givors, Valence Avignon, Arles e Port Saints Louis du Rhone. A Chegada no dia 01 de abril, não teve festa, foi discreta e refletiu a personalidade do próprio nadador. Um home discreto, de poucas palavras, mas com um humor incrível.

(Jiddu Saldanha - Blogueiro)


quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Quando a solidão acorda, quem dorme em nossa alma?

Uma reflexão a partir de um sentimento, uma sensação, algo que nos transporta para universos melancólicos e nos abre, num certo sentido, a percepção para descobertas mais abrangentes e profundas sobre nós mesmos.

Falar de solidão é mergulhar na essência de si mesmo, buscar algo além das aparências e rever situações da vida para preenchê-las com novos significados, novas descobertas. Falar de solidão é abrir-se totalmente para outras percepções. Nada é por acaso, quando temos sentimentos complexos e não conseguimos lidar com eles, é natural que culpemos os outros, mas será que isso tem a ver com o outro, ou com nós mesmos?

Leia o poema abaixo e reflita sobre o tema deste vídeo!

*
o sopro da vida 
que ouço no telhado
é um vento forte

que distrai sutilmente
enquanto choro sozinho

(Jiddu)
do livro Rastro de Pluma - 2016 editora mondrongo




sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

PROJETO CINEMA POSSÍVEL COMPLETARÁ SEU PRIMEIRO CICLO DE 07 ANOS EM 2014!


Cheio de projetos para realizar, o Cinema Possível nunca parou desde que surgiu, em 2007. Foram viagens intermináveis ao mundo do audiovisual, onde aprendemos a fazer de tudo, lendo manuais de cinema e tendo uma aula aqui outra ali, lidando com a precariedade do mercado, a falta de investimento em novas iniciativas; driblamos todos os tipos de dificuldades para criar nossa história com o audiovisual, apoiado nas novas tecnologias.
Os resultados não foram poucos, podemos dizer que, nestes 7 anos, realizamos sonhos de muitas pessoas. Colocamos novos atores em cena, fizemos filmes com obras de poetas inéditos e consagrados, de Caio Fernando Abreu a Ronaldo Werneck, de Hugo Pontes e Herbert Emanuel., Criamos videoclipes com músicos, alguns desconhecidos, mas todos com muito talento, entre eles: Andra Valladares, Paulo Ciranda, Mako Brasil e Marcos Boi Blues, só para citar alguns. Divulgamos a literatura e a música brasileira, além de atrairmos para nossos projetos, jovens que investiram no cinema como profissão. Um bom exemplo é a montadora Bárbara Morais, que hoje em dia, alça vôos ousados no universo do cinema nacional e do audiovisual brasileiro.

"Poesia Proibida", um clássico do projeto Cinema Possível, sobre o poeta de Campos dos Goytacases, Artur Gomes. Depois de percorrer festivais e mostras independentes, o filme está totalmente disponível no youtube.


Atraímos para nossa rede de convivência, parceiros como a UEAP – do Amapá, uma universidade visionária que investiu no cinema possível como forma de ampliar seu leque fora da cidade de Cabo Frio, gerando uma parceria incrível com o grupo TATAMIRÔ DE POESIA, no Rio de Janeiro, depois fomos para Bento Gonçalves/RS onde exibimos boa parte de nossos filmes, com apoio da secretaria de cultura e o Congresso Brasileiro de Poesia.

Videoclipe realizado em 2013, "Maria das Quimeras", lança em audiovisual a música da cantora Andra Valladares, a partir de um poema de Florbela Espanca.


Em 2008, quando criamos nosso próprio cineclube (CINE MOSQUITO), criamos oportunidade de exibição de filmes alternativos em parceria com uma rede de aspirantes a cineastas, premiados em festivais ou não, mas que tiveram seus filmes exibidos fora do âmbito das competições, apenas para fruição do público. Nosso cineclube viajou para diversas cidades brasileiras e hoje, computamos, desde 2008, 40 eventos do “Cine Mosquito”, sem qualquer dependência de apoio oficial ou patrocínio. Nesta relação com o público que vieram nos assistir, mostramos a produção do cinema nacional de Curta Metragem e levamos os cineastas ao conhecimento do nosso público.

Um dos primeiros filmes do projeto Cinema Possível, realizado em 2008, "Guardar" é um poema de Antônio Cícero, e que marcou o caminho da estética por nós, sugerida, através do cinema Possível.


Enfim, o Cinema Possível, tem ainda muito que realizar, e guardamos para 2014, quando iremos comemorar nosso primeiro ciclo de 7 anos, alguns novos lançamentos que virão, a todo vapor, para encantar e ampliar nossa relação com o público que nos apoia. Nossa palavra de ordem é uma só, GRATIDÃO, por chegarmos até aqui, graças, claro, ao apoio daqueles que sempre acreditaram em nós.

Previsto para Março de 2014, o filme "Cidade a Contraluz" é a primeira co-produção do Cinema Possível, com a escola de Cinema Darcy Ribeiro, hoje uma grande referência nesta arte.


Enfim, com um longo caminho pela frente, esperamos, crescer ainda mais e levar ao público as diversas possibilidades de audiovisual, com uma pegada autêntica e que tenha a marca, pura e simplesmente, ao sabor das batalhas diárias e cheias de entusiasmo na arte das realizações possíveis.
Visite nosso canal no youtube: www.youtube.com/tvpossivel

Jiddu Saldanha – Coordenador e criador do projeto Cinema Possível, desde 2007

domingo, 7 de abril de 2013

Do Espontâneo ao Contemporâneo, um novo despertar!


Foram muitas as histórias acerca de um dos grandes momentos para as artes visuais em Cabo Frio; a inauguração da exposição: “Do Espontâneo ao Contemporâneo” Com adesão da maioria dos artistas locais, o CAV (Centro de Artes Visuais) teve sua inauguração em grande estilo, mais do que isso, reinventou a vida cultural da cidade. É cedo ainda pra falar, mas de cara, já podemos dizer que a boa localização do museu somado ao trabalho monumental de uma equipe determinada, conseguiu fazer, em uma noite, o que há muito tempo, a cidade pedia mas, por estranhos desígnios, não acontecia.
Uma noite inesquecível, com uma multidão de cabofrienses
afluindo para o CAV - Centro de Artes Visuais de Cabo Frio.
A noite do dia 05 de abril vai entrar para a história da arte na cidade, foi um momento especial, uma espécie de recorte no tempo, onde toda sua cultura visual convergiu para um ponto central, o CAV, que será o ponto de partida para estimular o mercado cultural e aprimorar o balizamento estudantil nas artes visuais local.  Talvez um respiradouro, para uma cidade que depende quase que exclusivamente de turismo de praias e da especulação imobiliária, embora tenha, no seu bojo, uma das maiores concentrações de artistas do país, proporcionalmente falando.
Desde a preparação do Primeiro Salão de Arte de 2013, até o dia seguinte à inauguração, a equipe não parou de trabalhar, exaustivamente, para que se pudesse criar um elo perfeito entre o cidadão, os artistas, os estudantes e até, possíveis investidores, da cidade, com um olhar de esperança e acreditando profundamente de que as coisas estão realmente se firmando e um caminho de luzes está chegando para quem ama a arte. Poder ver nos olhos de cada artista presente, a cumplicidade e o desejo de ver sua obra contemplada e também questionada.
Na primeira mostra de arte da cidade em 2013, Ivan Cruz alerta para a “Inclusão do olhar”, para uma cumplicidade entre todas as forças produtoras e criadoras, com um destino voltado, exclusivamente, para uma discussão ampla sobre os caminhos artísticos que a cidade quer seguir. Com a realidade batendo à porta do sonho, parece, acreditamos, que há um novo despertar artístico, renovador das energias e conexão com um brilhante futuro que já se manifesta no presente.

Veja o Vídeo e confira este momento ímpar!


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Pierre Passot na Rio+20 - 2012


Pierre Passot vista a Cúpula dos
Povos na Rio+20.
Pierre Passot, o mergulhador Francês, Pierre Passot, residente na França e com vindas constantes ao Brasil, está trazendo para nós, brasilerios, muito do seu conhecimento.  Ele não só está divulgando a arte do mergulho que faz da França uma das referências mundiais na área e tem na figura de Passot como recordista mundial de grandes eventos ocorridos durante o século XX.
Dentre os tantos marcos na vida deste grande profissional do mar, só para citar alguns, a travessia que começou no domingo de 3 de abril de 1977 em que ele entrou nas águas frias de Vouvry, a algumas dezenas de kilometros antes do Lago Léman na Suíça. Seu desafio era superar os quase 700 km que liga o Rhône, da Suíça, até o Mar Mediterrâneo, em Marseille, França.
Outro feito incrível do mergulhador foi  no ano de 1983 quando ele realizou um mergulho que durou 236 horas, Record que ainda não foi superado e que está relatado no livro de Record QUID,  2002  pagina 1385.
No dia 15 de Junho, Pierre Passot fez questão de vir ao Rio de Janeiro para conhecer a Rio+20 e esteve na Cúpula dos Povos, no aterro do Flamengo, onde concedeu à TV Possível uma entrevista com tradução simultânea para que pudéssemos, entender, de alguma forma, como funciona seu trabalho e qual sua motivação para se dedicar à profissão do mar.
Durante a convivência com passot ficamos com a impressão de tratar-se de um homem de grande coragem, senso de humor único e a modéstia característica de quem faz da vida muito mais do que um codiano comum, mas que, antes, dedica-se às grandes causas.  Em passeio pela cúpula dos povos, Passot, sempre muito atencioso, conheceu culturas diferentes e fez questão de se deixar fotografar ao lado de brasileiros de diversas etnias.

Pierre Passot ao lado de jovens da etnia Pataxó, na cúpula dos povos, durante
a Rio+20. no dia 15 Junho de 2012
Falou sobre sua paixão pelo mar e seu amor pelo Brasil, de forma muito discreta, comum à sua cultura, Passot não deixou de se encantar com a vista maravilhosa do Rio de Janeiro e estava sempre atento ao universo de brasilidade que o acercava. Como pessoa determinada e focada no seu ideal, ele visitou, também, o Museu Naval e fez indagações sobre a arte do mergulho no Brasil, demonstrando, inclusive, conhecimento prévio de como esta profissão é vista por nós, brasileiros.
Durante entrevista gravada para TV Possível, Pierre Passot foi traduzido em tempo real por Sônia Mar; perguntamos sobre sua abordagem, a forma como lida com o público infantil e jovem e quais as suas expectativas em relação à maior divulgação do mergulho no Brasil. Segue a entrevista em nossa página e esperamos que vocês, que acompanham a TV POSSÍVEL por aí, se entusiasmem e conheçam a nobre arte deste mestre dos mares.

terça-feira, 13 de março de 2012

Árvore de Haicai


Poucos já ouviram falar de publicações de livros de haicais, mas o gênero é bastante reverenciado no Brasil. Curitiba e São Paulo são, inclusive, dois pólos importantes desta prática poética e pelo Brasil a fora se espalham por bibliotecas de poetas e curiosos leitores deste gênero.
O Poeta Shohey Uetsuka viajou a bordo do Kasato Maru, chegando
ao brasil em 1908.
O haicai chegou ao Brasil na primeira década do século XX, em 1908, o Navio Japonês, Kasato Maru, trazia para nossas terras os imigrantes japoneses e, entre eles, o haijin (poeta que escreve haicai) Shuhey Uetsuka (1876-1935) que escreveu o seguinte haicai, quando avistou o Brasil:

“Karetaki o
miagete tsukinu
iminsen

A nau imigrante chegando:
vê-se lá no alto
a cascata seca.

(Tradução: Massuda Goga)”

Inspirado por tão bela história, decidi “criar”, no jardim de minha casa, em Cabo Frio, o primeiro “Pé de Haicai” que se tem notícia, com o objetivo único de divulgar publicações sobre este tipo de poesia, para, assim, inspirar quem queira fomentar suas bibliotecas com livros raros.
Veja o vídeo e conheça a nossa “Árvore do Haicai”, um filme com a participação do poeta Flavio Machado e Bruna Blanpain, a garota do haicai de 2012.

Confira o Filme